Começa a coletiva com a ialorixá Nonata Corrêa

A segunda atividade pedagógica começou agorinha. A convidada é a ialorixá Nonata Corrêa, ativista do Movimento Negro e de Mulheres Negras. Ela fez um breve panorama do trabalho do povo de axé na região Norte.

Nonata Corrêa é entrevistada na dinâmica de coletiva de imprensa

Jornalistas da Rádio Amazonas, Amazonas em Tempo e do Sebrae fazem o primeiro bloco de perguntas. Na roda, uso do iorubá em vez dos estrangeirismos anglosaxônicos e europeus, presença de LGBTT nos cultos afro-brasileiros e informação sobre a filosofia das religiões abro-brasileiras.

 

Primeira rodada da coletiva levanta temas quentes

Francy Guedes, da Articulação de Mulher e Mídia, participa da coletiva de imprensa e convida  mulheres para se somarem ao movimento.

Mãe Nonata Corrêa ressalta o fundamento das religiões de matriz africana. “O meu conceito de pecado é matar o que não vou comer. A minha identidade étnica, o meu orixá, o meu inquice permaneceram dentro de mim”, destaca ela ao falar sobre ancestralidade.